God’s will: good, perfect and pleasant ???

Hello friends!

We,brazilians, are living in a chaotic scenario these lasts years, a real fight of egos, disguised as politic ideology.

That made me begin to think about the will of God!

How often we ask it to be fulfilled, but wishing it would be same as ours?!

The Bible tells us that His will is good, perfect and pleasing, but sometimes it is not what it SEEMS to be.

God’s will generally does not match the setting and conditions we imagined would coincide, for it would be fulfilled.

I have already told here a little bit about my story, about how I started to guide myself by God’s will, how I ended up in a mission school and then I made one of the most incredible trips of my life! (and certainly the hardest!)

When I went to this school I had a very different image in my head about how it would be, I thought: well, I’m going to a place where everyone is seeking God, a Christian environment, a very different one from everything I know.

With this also came a paradigm: that in the “christian’s scene” people are “perfect” all the time: do not make mistakes, nor are they selfish.I’m not saying I was completely disappointed!

I surely found, a very friendly and favorable environment for God’s move, I learned things that I did not imagine would worked that way and I met many inspiring and incredible people.

But,since I came from a completely different scenario, where I used to have my own space (cause I lived by myself) and doing what I wanted, when I wanted it, I soon had to face a “coexistence shock”.

Some times, I was stressed because the people who shared the house with me (during the theoretical period on a farm) were not organized and focused on cleanliness as I was.

In another moment, they complained with me, because I listened to music out loud all the time, and I did not like it.

We were also charged to perform a daily task, which in my case was cleaning the students’ homes along with a group of girls. And on a number of occasions, I felt indignant because people did not do their jobs as they agreed and then I also started to question my task: why am I going to work hard if no one cares to do their part?

Anyway, in addition to these superficial issues I also went through serious conflicts during the trip (outreach) with my group.

Often, because the girls in my room did not respect the silence at bedtime and at other times because I was charged for not being helpful in something they thought I should be doing.

On another occasions, I rebelled against the attitude of my leadership, which for me, was tottaly different when it came to dealing with me, compared to the rest of the group.

The point is: human being is full of failures and contradictions, and sometimes it is difficult to prioritize empathy.

I definitely had a hard time putting myself in another person’s shoes in many different situations. And for me, at that moment, it was because nobody was putting theirs in my place either.

Why am I talking all this?

Because many times I questioned the will of God and I asked him:

“Really God? Why did you bring me here, to get through it? I thought it would be all wonderful and nice but the truth is I’m being slaughtered here!”

The truth, my dear friends, is that in most of the time, doing the will of God hurts! It hurts because takes us out of our comfort zone and confronts our ego!

The will of God turns our certainties and concepts upside down, it makes us swim against the flow!

For me, I can say that it was difficult because I spent years believing in lies: That the world was unjust and selfish and so I should act accordingly:” why bother with people who do not care about me?”

Or ” I’m alone on this boat! I need to fight for what I want!”

I always believed, that I should revolt against everything I did not agree with, that it was the way out for me, but the truth is: in a world where everyone is already discredited in the goodness and love of human beings, seeking only for self-realization, revolt in that way is just following the flow, it is not a revolt at all!

The kingdom of God is upside down! This is very tricky, because the word of God asks us not to conform to the standards of this world! In other words, revolt! ( Romans 12:2)

But the revolt of the citizens of the Kingdom of God has nothing to do with the pattern of revolt preached by the world!

And,this kind of thought,was what I had to fight against for a long time, because I was taught by all the ways to think exactly the opposite to how God wants us to think!

It’s not about a revolt that wins things by force or externalizing frustration!

The revolt of the children of God is against hatred and indifference!

Jesus told us that we would be recognized as His people by LOVE. (John 13:35- difficult task, right?)

Turning back to the beginning, analyzing this undermined scenario in which we walk, with a polarized and increasingly enraged nation, what is our role as citizens of the Kingdom?

Make moralistic speeches? Yelling for the right to arm ourselves to defend our family? Dump hate against those who defend their ideology?

It is true that as Christians, we must be very well positioned, according to the truth of the God’s words, revealed to us!

We should not accept everything that is happening with our arms crossed, as if it was not part of our daily life.

However, I think that God sometimes allows chaos, He lets things get really messed up, before a big intervention!

But no matter what happens, He has everything under control.( So we don’t need to go crazy lol)

Our role as Christians is not just exercise our rights as citizens of this world, but most important, to exercise our duties as citizens of the Kingdom.

Citizens who win hearts by announcing the good news, which say “Hey, don’t worry, your debt has already been paid, you are free!”

People who walks with their eyes fixed on Jesus and let him do things on His way!

But this way does not come with inflamed and enraged speeches. His ways will not always be the way we want!

In fact, it will usually be the hardest way (the path that teaches us to serve instead of being served), but it will draw more of us, teaching us to be resilient.(” If anyone slaps you on the right cheek, offer the other one”)

It is time to seek more the Kingdom of God and believe that all other things will be given to us!

It is hard to be humble sometimes, and recognize our flaws and pride, but God gives us GRACE to go through it!

May our zeal to proclaim the truth of Christ be so intense and even greater than the fervor with which we defend our political ideals or our point of view!

It’s time to wake up, the greatest harvest in history is about to happen! We are called to prophesy over a valley of dry bones and see it become an army!(to read :Ezekiel 37)

******************************

Vontade deDeus: Boa,perfeita e agradável?

(Romanos 12:2)

Em meio a esse cenário caótico, que estamos vivendo no Brasil, em uma verdadeira briga de egos, disfarçados de ideologia política, eu comecei a refletir sobre a vontade de Deus!

Como, às vezes, pedimos que ela se cumpra, mas esperanfo que ela seja a mesma que a nossa!

A bíblia nos diz que Sua vontade( a de Deus) é boa perfeita e agradável, mas às vezes, NÃO é isso que PARECE.

A vontade de Deus geralmente, não coincide com o cenário e as condições que nós imaginávamos que coincidiria, para que ela se cumpra.

Eu já contei aqui um pouco da minha história, sobre como eu comecei a me guiar pela vontade de Deus, como fui parar numa escola de missões e fiz então uma das viagens mais incríveis da minha vida! (e com certeza a mais difícil!).

Quando eu fui pra essa escola eu tinha uma imagem bem diferente na minha cabeça sobre como seria, eu pensava: bom, eu vou pra um lugar onde todos estão buscando a vontade Deus, um ambiente cristão e muito diferente de tudo que eu conheço.

Com isso também veio um paradigma: de que no meio cristão as pessoas são “perfeitas”o tempo todo, que não cometem equívocos, nem são egoístas.

Não estou querendo dizer que me decepcionei completamente! Eu encontrei sim, um ambiente muito amigável e favorável ao mover de Deus, eu aprendi coisas que eu não imaginava que funcionavam daquela forma e conheci sim, muitas pessoas inspiradoras e incríveis.

Mas como eu vinha de um cenário completamente diferente, onde eu estava acostumada a ter meu espaço (eu morava sozinha) e fazer o que queria, quando eu queria, porque a casa era minha, logo eu tive um “choque de convivência”.

Em alguns momentos eu me estressei porque as pessoas que dividiam a casa comigo(durante o período teórico, que ocorreu numa fazenda) não eram tão organizadas e focadas em limpeza quanto eu.

Em outros momentos, reclamavam porque eu ouvia música alta o tempo todo, e eu não gostei da crítica.Nós também éramos cobrados a realizar uma tarefa diária, que no meu caso, era a limpeza das casas dos alunos, juntamente com um grupo de meninas.

E em várias ocasiões, eu me senti indignada porque as pessoas não desenvolviam suas tarefas conforme o combinado e então, eu também passei a questionar minha tarefa: porque eu vou ficar me matando se ninguém se importa em cumprir sua parte?

Enfim, além dessas questões superficiais eu também passei por conflitos muitos durante a viagem prática, com o meu grupo.

Muitas vezes porque as garotas do meu quarto não respeitavam o silêncio na hora de dormir e em outros momentos porque eu era cobrada por não estar ajudando em algo que elas achavam que eu devia estar fazendo.

Em outras ocasiões, eu me revoltei com a postura da minha liderança, que pra mim era diferente quando se tratava de lidar comigo, em relação ao resto do grupo.

O ponto é: o ser humano é cheio de falhas e contradições, e por vezes é difícil priorizar a empatia.

Eu mesma tive muita dificuldade em me colocar no lugar do outro em diversas situações, e pra mim,naquele momento, era porque ninguém estava se colocando no meu também.

Por que eu estou falando tudo isso? Porque muitas vezes eu questionei a vontade de Deus! Eu perguntava: “sério Deus? Por que você me trouxe aqui, pra passar por isso? Eu pensei que seria tudo lindo e harmonioso, mas a verdade é que to sendo massacrada aqui!”

A verdade, meus queridos, é que na maioria das vezes, fazer a vontade de Deus dói! Dói porque nos tira da nossa zona de conforto e confronta o nosso ego!

A vontade de Deus vira as nossas certezas e conceitos de cabeça pra baixo, ela nos faz nadar contra a correnteza!

Por mim, eu posso dizer que foi difícil porque eu passei anos acreditando em mentiras: que o mundo era injusto e egoísta e por isso eu deveria agir de acordo, por que me preocupar com pessoas que não estão nem aí pra mim?

Eu to sozinha nesse barco! Eu tenho que brigar pelo que eu quero!

Eu sempre acreditei que, se revoltar contra tudo que eu não concordava era a saída pra mim, mas a verdade é que, num mundo em que todos já estão desacreditados na bondade e na empatia dos seres humanos, e estão buscando somente a própria realização, o “se revoltar” é, na verdade, só seguir o fluxo, não é uma revolta!

O reino de Deus é de ponta cabeça! Isso é muito louco, porque a palavra de Deus nos pede para não nos conformar com os padrões deste mundo! Ou seja, revolte-se!

Mas a revolta dos cidadãos do Reino de Deus não tem nada a ver com o padrão de revolta pregado pelo mundo! E foi com esse pensamento que eu tive que lutar por muito tempo, porque eu fui ensinada de todos os lados a pensar exatamente de forma contrária a como Deus deseja que pensemos!

A palavra não fala sobre uma revolta que ganha as coisas pela força ou pela frustração extravasada!

A revolta dos filhos de Deus é contra o ódio e a indiferença e Jesus nos disse que seríamos reconhecidos como seu povo pelo AMOR. (João 13:35- tarefa difícil né?)

E, voltando ao início, analisando esse cenário minado em que caminhamos, com uma nação polarizada e cada vez mais enraivecida, qual é o nosso papel como cidadãos do Reino?

Fazer discursos moralistas ou gritar pelo direito de se armar para defender nossa família?

Despejar ódio contra os que defendem sua ideologia?

É verdade que, como cristãos devemos estar muito bem posicionados de acordo com a verdade que a Palavra nos revela, não devemos aceitar tudo que está acontecendo de braços cruzados, como se isso não fizesse parte do nosso cotidiano.

Mas o que eu penso é que, Deus, às vezes, permite o caos. Ele permite que as coisas fiquem realmente ruins antes de intervir. Mas não importa o que aconteça, Ele tem tudo sob controle.( Logo, não precisamos enlouquecer! rs)

Nosso papel como cristãos é exercer sim, nossos direitos como cidadãos nesse mundo, mas acima de tudo, exercermos nossa função como cidadãos do Reino.

Cidadãos que ganham corações pelo anúncio das boas-novas, que dizem “ei, não se preocupe, sua dívida já foi paga, você é livre!”, que caminham com os olhos fixos em Jesus e deixa que ele faça as coisas à Sua maneira!

Só que essa maneira não vem com discursos inflamados, cheios de raiva.

E nem sempre vai ser pelo caminho que desejamos, pelo contrário, geralmente vai ser pelo percurso mais difícil ( o caminho que nos ensina a servir ao invés de ser servido), mas que vai extrair mais de nós, nos ensinar mais.( “Ofereça a outra face!”)

É tempo de buscarmos mais o Reino de Deus e acreditar que todas as outras coisas nos serão acrescentadas!

É difícil ser humilde às vezes, reconhecendo nossas falhas e o orgulho. Mas o Senhor nos concede graça pra enfrentar todos os momentos!

Que o nosso fervor pra anunciar a verdade de Cristo seja tão intenso e até maior do que o fervor com o qual defendemos nossos ideais políticos e nosso ponto de vista!

É tempo de despertar, a maior colheita da história está pra acontecer! Somos chamados para profetizar sobre um vale de ossos secos e vê-lo se transformar num exército! (Ezequiel 37)

Pra ler ouvindo: “Guerra-Os Arrais” =)*************************************************************************************