“Who is this man that will know our hearts and pick them up when they fall apart. All for love… Who is this God that has come to serve With selfless love that we do not deserve…”

(O evangelho da graça e a obediência)

Eu estou lendo um livro muito interessante(e esclarecedor) atualmente. O livro se chama “O evangelho maltrapilho” (Brennam Manning) e, segundo o próprio autor, é voltado para os cristãos “vacilantes e de joelhos fracos”, para os “discípulos inconsistentes e instáveis”. Ou seja, é para todos nós, os que recebemos a graça e o amor de Deus mas, sabemos que ainda assim somos falhos e erramos com freqüência.

É para os que já se deram conta que, Jesus morreu por nós simplesmente porque o amor é sua essência e foi dado de graça à nós, pecadores. Não porque merecemos de fato. Nós não somos dignos de nada. (aqui os legalistas tremem…rs)

O livro enfoca no evangelho da graça, na postura de Jesus em relação aos pecadores: como ele os chamava e os aceitava sem reservas, inclusive em sua mesa. Entender o que significa essa graça é um desafio, para nós cristãos, mas também libertador. Entendemos que não se trata de esforços ou mérito, mas que Deus simplesmente nos criou para sermos amados e termos um relacionamento com Ele, independente de nossas fraquezas! Confesso que essa verdade, ao ser absorvida lentamente, degustando cada gole de sua essência,é realmente reconfortante!

Eu tenho muita dificuldade em descartar a meritocracia. Eu fui criada, não só por um pai severo que queria que eu fizesse tudo minuciosamente bem, mas também por uma sociedade inserida numa cultura que nós diz que: nós temos que fazer por merecer, nada vem de graça. Ou seja, minha geração foi educada (e acredito que todas as anteriores também) para acreditar que precisamos nos esforçar, ter um plano e lutar constantemente para alcançá-lo.

Aí, subitamente, vem esse Jesus que diz “ Ei, vem comigo, eu sou o caminho, a verdade e a vida e aqui você não precisa merecer nada! Eu te amo de graça!( e é muito amor….=)

Complicado para a nossa mente assimilar isso aí, né? O evangelho da graça nos cura e nos liberta dessa mentalidade de meritocracia mas…ele não termina aí!

O mesmo Jesus que disse “venha a mim os cansados e oprimidos e eu vos aliviarei” (Matheus 11:28) também disse  ”Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará.”( Lucas 9:23,24). Essa é a parte que pode parecer,para muitos, uma armadilha.

Jesus nos diz sim, para virmos como estamos, imperfeito como somos e Dele receberemos alívio.Mas essa é só a parte inicial do evangelho, onde nós escolhemos nascer de novo pelo Espírito e então é como se fossemos um bebê espiritual, recebendo leite como alimento, a graça do perdão e o infinito amor de Deus.

Mas conforme vamos nos desenvolvendo como cristãos, novos desafios nos são apresentados e temos que, constantemente, fazer escolhas por amor ao evangelho. O amor vem de graça, mas a porta é estreita,lembra? Nem todos conseguem passar por ela, principalmente, porque exige renúncias e, conforme caminhamos nessa trilha estreita, uma obediência cega à voz de Deus.

Na verdade, o que pode parecer uma “pegadinha”, nada mais é do que diferentes estágios de um relacionamento com Deus. Quanto mais nos desenvolvemos em intimidade e entendimento, mais Ele exige de nós, porque já não somos apenas filhos, somos herdeiros e representantes do Seu Reino. 

***************************************************************************

The gospel of grace and the obedience

I’m reading a very interesting (and enlightening) book these days. The book is called “The Ragamuffin Gospel”(Brennam Manning) and, according to the author himself, is aimed at “weak and kneeling” Christians, for “inconsistent and unstable disciples.” That is, it is for all of us who receive the grace and love of God, but we know that we are still flawed and err frequently.

It is for those who have already realized that Jesus died for us simply because love is His essence, and it was given freely to us, sinners. Not because we deserve it. We are not worthy of anything.

The book focuses heavily on the gospel of grace, Jesus’ attitude toward sinners: how he called them and accepted them unreservedly, even at his table. In fact, understanding what this grace means is indeed liberating. We understand that it is not about effort or merit, but that God simply created us to be loved and to have a relationship with Him, regardless of our weaknesses! I confess that this truth, being absorbed slowly, savoring every gulp of its essence, is really comforting!

I have a hard time ruling out meritocracy. I was raised not only by a stern father who wanted me to do everything thoroughly, but also by a society embedded in a culture that says that: we have to do for deserving, nothing comes for free. That is, my generation was educated (and I believe all previous ones) to believe that we need to strive, have a plan and constantly strive to achieve it.

Then, suddenly, comes this Jesus who says, “Hey, come with me! I am the way, the truth and the life and here you do not have to deserve anything! I love you for free!”(and  it is a immeasurable love)

It´s complicated for our mind to assimilate this, right? The gospel of grace heals us and frees us from this meritocracy mentality but … it does not end there!

The same Jesus who said, “Let the weary and oppressed come to me, and I will give you rest.”(Mathew 11:28)  also said, “If any man will come after me, let him deny himself, and take up his cross daily and follow me. Whoever wants to save his life will lose it; But whosoever shall lose his life for my sake, shall save it “(Luke 9:23, 24).

That’s the part that seems, for many people, a trap.

Jesus tells us, to come as we are, imperfect as we are to Him and we will receive relief. But this is only the initial part of the gospel, where we choose to be born again by the Spirit and then it is as if we were a spiritual baby, receiving milk as food: the grace of forgiveness and the infinite love of God.

But as we grow as Christians, new challenges are presented to us and we must constantly make choices for the sake of the gospel. Love comes for free, but the door is narrow, remember? not everyone can pass through it, mainly because it demands a lot of personal sacrifices and, as we walk in that narrow path, a blind obedience to the voice of God.

In fact, what may seem like a “catch” is nothing more than different stages of a relationship with God. The more we develop in intimacy and understanding, the more He demands from us. We are no longer only His children, we are heirs and representatives of His Kingdom.

 

“Eu não trouxe nada pra mesa. Apenas uma fome e uma sede….”

Neste fim de semana, eu comecei a ler um livro incrível chamado “O evangelho maltrapilho”. O autor compartilha conosco, cristãos, questões sobre a batalha que todos nós enfrentamos: a expectativa de sermos  perfeitos e sobre ter uma “alta performance espiritual” e, como falhamos miseravelmente nisso.

Ele fala como ficamos frequentemente desapontados, porque não podemos cumprir as expectativas colocadas sobre nós, seja pela igreja ou por nós mesmos.

Geralmente, pensamos que Deus nos escolheu porque temos algo que nos torna melhores do que outros, ou porque nos esforçamos para ser bons e super espirituais.

Este incrível livro fala sobre essas lutas e lembra-nos do “evangelho da graça”, pregado e vivido por Jesus, durante seu ministério na Terra. É algo que precisamos lembrar todos os dias em nossas vidas: Deus nos escolheu, não porque merecemos ou porque somos especiais, mas é somente por amor. Nunca seremos capazes de fazer algo tão bom a Deus para merecer o Seu amor ou o sacrifício que Ele fez por nós, na cruz.

Somos miseráveis, fracos e egoístas, mas Ele nos ama de qualquer maneira, não importa o que façamos. Isso é algo difícil de acreditar.

Todos os dias, quando não posso satisfazer minhas expectativas sobre minha vida espiritual ou meu relacionamento com Deus, sinto-me desapontada comigo mesma. É como se Deus pudesse se surpreender com meus erros, como se Ele não soubesse quão fraca e falha eu sou. E, mesmo sabendo que Ele me conhecia muito bem antes de me chamar para andar com Ele, me sinto  uma fracassada, porque simplesmente não posso ser a pessoa que eu imagino que eu deveria ser.

Eu não sou essa mulher super espiritual, forte e destemida que eu imaginei que seria agora, porque estou com Jesus.

A questão é:  todo esse pensamento está errado, porque Deus não pode estar desapontado comigo, nada é uma surpresa para ele! Ele sabe tudo desde o começo até o fim. Ele conhece toda fraqueza, todo medo, todo pensamento em minha cabeça. Ele sabe o que eu preciso antes de pedir a Ele, Ele é meu pai e Ele sabe de todas as coisas!

E segundo: eu preciso lembrar que é tudo sobre Ele e Sua glória. Não é sobre meus objetivos e sonhos, minha necessidade de ser reconhecida. Deus disse uma vez a Paulo: “A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na sua fraqueza” (2 Coríntios 12: 9).

É difícil lidar com uma verdade como essa! Nada que eu fizer,nenhum erro, pode me afastar do amor de Deus. Ele me escolheu e teve piedade de mim, sem me exigir nada! E o poder Dele será glorificado através da minha vida.
Às vezes, nos esquecemos das palavras de Cristo “Eu não vim chamar os justos, mas pecadores” e também nos esquecemos que na cruz, por Sua morte e ressurreição, Ele já pagou por todos os nossos pecados. Não somente os que fizemos antes de nos tornarmos cristãos, mas todos.
Eu resolvi escrever todas essas reflexões, porque estou cansada de me decepcionar e de carregar esse fardo de expectativas, criado por mim mesma. Se Deus me escolheu, apesar de mim, quem sou eu para desperdiçar a graça?

Ele está nos dizendo todos os dias ”Estou aqui com você, não importa o que aconteça, apenas ande comigo. Eu te amo” A graça de Deus  é essa: ​​não somos bons, não merecemos o Seu amor, mas Ele nos ama de qualquer maneira!

Precisamos descobrir quão grande é a ALEGRIA e quão INCRÍVEL é a jornada quando aceitamos essa dádiva e decidimos ANDAR lado a lado com JESUS, o amante da nossa alma!

************************************************************************************

This weekend, I began to read an incredible book called “The Ragamuffin Gospel”. The author shares with us, christians, the battle we all face about the expectation of being perfect and having a “high spiritual score” and how we fail miserably in it. How disappointed we are all the time because we can not fulfill those expectations placed upon us , by the church or by ourselves.

We often think that God has chosen us because we have something that makes us better than others or because we strive to be good and very spiritual.

This incredible book talks about these struggles and reminds us of the “gospel of grace” preached and lived by Jesus during his earthly ministry. It is something we need to remember every day in our lives: God chose us not because we deserve or because we are special, but it is all about love. We will never be able to do something  good enough  to deserve His love or the sacrifice He has made for us on the cross.

We are miserable, weak and selfish, but He loves us anyway, no matter what we do. This is something hard to believe.

Every day, when I can not fulfill my expectations about my spiritual life or my relationship with God, I feel disappointed with myself.

It’s like God was going to be disappointed or surprised by my mistakes, as if He did not know how weak and damaged I am. And even knowing that He knew me well before calling me to walk with Him, I feel like a failure because I just can not be the person I imagined I should be.

I am not this super spiritual, strong and fearless woman that I imagined I would be now, because I am with Jesus.

The point is: all this thinking is wrong, because God can not be disappointed with me, nothing is a surprise to him.He knows everything from beginning to end. He knows every weakness, every fear, every thought in my head. He knows what I need before I ask Him. He is my father and He sees everything!

And second: I need to remember that everything is about Him and His glory. It is not about my goals and dreams, my need to be recognized. God once said to Paul, “My grace is sufficient for you, for my strength is made perfect in your weakness” (2 Corinthians 12: 9).

It’s hard to deal with a truth like this! Nothing I could do can keep me away from the love of God. He chose me and had mercy on me, without demanding anything! And His power will be glorified through my life!

Sometimes we forget the words of Christ “I came not to call the righteous but sinners” and we also forget that on the cross, by His death and resurrection He has already paid for all our sins, not only those we did before we became christians, but all.

I have just written all these thoughts  because I am tired of being disappointed and overloaded with this burden of expectations, created by myself. If God has chosen me, who am I to waste grace?

He’s telling us every day “I’m here with you, no matter what, just walk with me. I love you.” The grace of God is this: we are not good, we do not deserve His love, but He loves us anyway!

We need to discover how great is the JOY and how AMAZING is the journey, when we accept this gift and decide to WALK SIDE BY SIDE WITH JESUS, the lover of our soul!