“My confort in my suffering is this: Your promise preserves my life!”

[Picture: Pokhara-Nepal]

Hello!

It’s really funny how things happen in life,right?

Sometimes we are surprised by experiences we did not expect and sometimes we are frustrated because things were not as we imagined and we become discouraged in our walk.

Strolling through the instagram I could realize that when we start looking around, our life may seem stuck or even bland!

I am going through a phase without many surprises in my life and sometimes it knocks me down.

But then, I remember that He, who is in control of everything has plans and thoughts higher than mine, that He has thoughts of good and not of evil about me and that, moreover, He never leaves an unfinished work.

What a relief! These truths really comfort me. For there I remember, as it says in Hebrews, that God is the builder of all and we are the house where His Spirit dwells!

Like all well-built buildings, the house begins with its foundations, which is the part that nobody sees, but that makes all the difference in construction, bringing security and stability to support diversities, such as bad weather.

God builds us on His rock, which is Jesus Christ, the word that became flesh!

Why am I wandering in this house’ analogy? To remind myself and to remind you that no matter how long it takes for the building to be finished, the most important part are our foundations, established through our struggles and supported by faith.

Faith that promotes our RELATIONSHIP with God and allows us to bear the trials. Without this, all the construction is a beautiful façade, but completely unstable and consequently useless!

If you, like me, sometimes feel forgotten by the eyes of God, while others are in evidence, working on their purposes and you do not even know where to go, remember: all those who are edified in Christ had to pass by this process, which involves pain, frustration, and patience.

Do not despair, your time will come! Acept and love your processes, for without them you would not be able to stand firm in challenging situations, that will come for sure!

God is a demanding builder, every detail matters and believe in Him, will be worth it!

One day you will look back and you’ll be proud of your “deserts roads”, of those moments that God remained in silence, in which apparently nothing was happening, but in fact He was working all the time in your foundations, in the depths of your soul, so that nothing passed by unnoticed by the divine “quality control” lol

Trust in the processes of God and love your seasons, each of them teaches and builds something unique, nothing is in vain. And as I heard these days, during a lecture: “God does not have trash can”.

He will make of every failure, every pain and every overcoming a important part of His masterpiece!

*********************************

Faz tempo que não escrevo aqui e estava com saudades de devanear um pouco rs.
É engraçado como as coisas acontecem na vida. Às vezes somos surpreendidos com experiências incríveis que não imaginávamos e, às vezes, somos frustrados porque as coisas não foram como imaginamos e então, nos pegamos desanimados na nossa caminhada.

Passeando pelo Instagram eu pude perceber que quando começamos a olhar ao redor, a nossa vida pode parecer parada ou até mesmo sem graça, não é?!

Eu tenho passado por uma fase sem muitas surpresas na minha vida e isso, às vezes, me deixa pra baixo.

Mas aí, eu me lembro que Aquele que esta no controle de tudo, tem planos e pensamentos mais altos que o meu, que Ele tem pensamentos de bem e não de mal a meu respeito e que, além de tudo, Ele nunca deixa uma obra inacabada.

Ufa! Essas verdades realmente me confortam. Na palavra eu me deparo com essas inúmeras consolações, como em Hebreus, que diz que Deus é o edificador de tudo e nós somos a casa aonde o Seu Espírito habita!

Como toda construção bem edificada, a casa começa pelos seus alicerces, que é a parte que ninguém enxerga, mas que faz toda a diferença na construção, trazendo segurança e estabilidade para suportar as diversidades, como o mal tempo.

Deus nos edifica sobre Sua rocha, que é Jesus, a palavra que se fez carne. É através dele que podemos todas as coisas!

Mas por que eu tô viajando nessa analogia de casa? Pra me lembrar e te lembrar que não importa quanto tempo demore para que a construção seja edificada.

A parte mais importante é a que ninguém vê: são os nossos alicerces, firmados através da provação , que é sustentada pela nossa fé. É a fé promove nosso RELACIONAMENTO com Deus e nos permite atravessar as dificuldades.

Sem isso toda construção não passaria de uma fachada bonita, porém, completamente instável e consequentemente, inútil!

Se você, como eu, às vezes se sente esquecido ao olhos de Deus enquanto outros estão em evidência, trabalhando em seus propósitos e você nem se quer sabe em que direção seguir, lembre-se: todos os que estão edificados em Cristo tiveram que passar por esse processo, que envolve dor, frustração e paciência.

Não se desespere, sua hora vai chegar! Suporte e ame seus processos, pois sem eles você não seria capaz de se manter em pé em situações desafiadoras, que ainda virão!
Deus é um construtor exigente, cada detalhe importa e acredite, vai valer a pena!

Um dia você vai olhar pra trás e vai se orgulhar dos seus “desertos”, dos momentos de silêncio de Deus, em que aparentemente nada estava acontecendo, mas na verdade Ele estava o tempo todo trabalhando nas suas fundações, no íntimo da sua alma, pra que nada passasse despercebido pelo “controle de qualidade” divino rs

Confie nos processos de Deus e ame suas temporadas, cada uma delas ensina e constrói algo único, nada é por acaso. E como eu ouvi esses dias, durante um seminário: “Deus não tem lata de lixo”.

Ele fará de cada falha, cada dor e cada superação uma peça da sua obra de arte!

*******************************

!

“Freedom X Social standards”

#assassinscreed #freewill #socialstandards #freedom

These days I was watching the Assassin’s Creed movie again. I saw for the first time in the movies and I loved the story, I read all the books!

However, watching for a second time, I had a totally different impression of the story, from when I read the books and watched before.

The Assassins’ creed looks incredible does not it? They fight voraciously, giving their own lives if necessary, for a very noble cause: protecting the “apple”, which contains the source of man’s violence, and the secret of free will!

So, I began to analyze the meaning of the apple and the quarrel between the two groups: Templars and Assassins.

If on the one hand, the Templars want to use the apple for their own selfish interests, since it contains the “truth” and also, it has the power to manipulate the human’s minds. On the other hand, the Assassins want to keep this truth “safe”, that means far as possible from the reach of mankind.

The lemma of the Assassins is very interesting:

“Where other men blindly follow the truth, remember nothing is true. Where other men are limited by morality or law, remember everything is permitted. We work in the darkness to serve the light, we are Assassins”.

It carries a certain sense of freedom, right? Both, the original story and the film want to position us in favor of the Assassins, after all, they cherish a society “free of manipulations “unlike the Templars, who want this instrument, the apple, to manipulate people to achieve their goals, which are not noble at all.

Remembering, the meaning of the apple, free will (which many misunderstood) presupposes that humanity is able to judge right and wrong, impartially, free from external influences.

If we consider this definition, we will see that free will is something unattainable, since our judgment is always conditioned by external factors: available information, personal experiences, acquired values and so on. Therefore, you will never be impartial. ( I´ll write some more about it in another opportunity)

In a parallel, I can easily classify the Templars into the class of “religious people”: who have always manipulated the truth through a powerful tool: the word left by God for humanity (in this case, the bible) for the sake of perverses interests.

Religion has a long history of manipulation and atrocities, all “in the name of God.”

But on the other hand, are the Assassins more noble? Apparently, they do not want to manipulate anyone, their motto even says “nothing is true, everything is allowed”.

The creed is based on what,then? A society without rules, without limitations created by laws or false morality. Sounds like a dream, right? These guys are real libertarians!

However, I wonder: how would be a world where there are no parameters of good and evil? Right and wrong? More precisely, a world without God?

Humanity has always wanted to get rid of God, or to be more accurately, the chains of religiosity, which are cruel and dictate unattainable standards!

Creating our own rules and parameters has always seemed a better way than follow a God who is never satisfied.

A supreme being who is always “punishes mankind countless times throughout history and says that everything is sin!”

Fortunately or unfortunately (It depends on your point of view), I feel that we are plunging into a culture more and more like the Assassin’s creed: nothing is true, everything is allowed!

Without moral standards, there is no right or wrong.

Today’s culture says: you are the one who define your own values, after all, the truth is relative and everything depends on your experiences; your gender is changeable, your biology does not define you anyway; no one can tell you what to do,you are not obliged to see the world based on the same principles of others.

The curious thing is: while people are trying to break the dictatorship of morality, this culture has created a new dictatorship, based on relativism: either you accept my truth or you are “out of the circle”, just an alienated and intolerant.

The values of our parents and grandparents are increasingly eroded: marriage is a failed institution, the family is no longer defined by a straight normative couple; any people who love and join together are a family, after all religion has already oppressed for too long , it does not dictate the rules anymore.

The woman who wants to be valued cannot be a mere housewife or just a mother, she has to stand up for her rights, and gain space in the field that used to be dominated by men. In the race for equality, anything is granted, even reversing roles, including making women the new “oppressor”, of those who disagree with their opinion.

We live in frightening times, where the current generation is being educated by the “fast food” culture, of immediacy and, growing without a parameter of right and wrong.

After all, the truth cannot be defined by a “hegemonic group” that wants to impose their own values.

Freedom is always the goal, even if it is necessary to run over anything that is in your path, with a steamroller.

“Where other men are limited by morality or law, remember: all is permitted.”

Let’s see what happens , where humanity goes with this mindset…

******************************

Esses dias resolvi assistir o filme “Assassin’s Creed” de novo. Já tinha assistido uma primeira vez no cinema e adoro a história, li todos os livros!

Assistindo pela segunda vez, tive uma impressão totalmente diferente da história, em relação a quando li os livros e assisti o filme no cinema.

A irmandade dos Assassinos parece incrível a primeira vista! Eles lutam de maneira voraz, dando a própria vida se preciso, por uma causa muito nobre : proteger a maçã, que contém a explicação para a violência do homem, e o segredo do livre–arbítrio.

Comecei a analisar o significado da maçã e a briga entre os dois grupos: templários e Assassinos. Se por um lado, os templários querem usar a maçã em prol de seus próprios interesses perversos, já que ela contém a “verdade” mas também, o poder de manipular a mente das pessoas, por outro, os Assassinos querem manter essa verdade segura, bem longe do alcance do resto da humanidade.

O lema dos Assassinos é bem interessante “onde outros homens cegamente seguem a verdade, lembre-se nada é verdade. Onde outros homens são limitados pela moralidade ou pela lei,lembre-se tudo é permitido.Trabalhamos nas trevas para servir a luz,somos Assassinos.”

Esse lema carrega um senso de liberdade,certo? Tanto a história original, quanto o filme quer nos influenciar a nos posicionarmos em favor dos Assassinos, eles são os “mocinhos”, afinal eles prezam por uma sociedade “livre de manipulações” ,ao contrário dos templários, que querem esse instrumento, a maçã, para manipular pessoas e atingir seus objetivos, que não são nada nobres.

A maçã é nada menos que um poderoso instrumento para cativar ou revelar o livre-arbítrio, que ( muitos interpretam erroneamente) pressupõe que a humanidade é capaz de julgar o certo e o errado, de maneira imparcial,livre de influências externas.

Se for considerarmos essa definição, veremos que o livre arbítrio é algo inalcançável,uma vez que nosso julgamento sempre estará condicionado a fatores externos: informações disponíveis, experiências pessoais, valores adquiridos e por aí vai. Logo, nossas decisões nunca serão imparciais ( pretendo ir mais a fundo nessa questão em outro momento).

Fazendo um paralelo com a nossa realidade, facilmente eu consigo classificar os templários na classe dos “religiosos”: eles sempre manipularam a verdade, através de uma ferramenta poderosa: a palavra deixada por Deus para a humanidade (nesse caso, a bíblia), em prol de interesses perversos.

A religião tem um longo histórico de manipulação e atrocidades, tudo “em nome de Deus”.

Mas, por outro lado, será que os Assassinos são mais nobres?

Aparentemente, eles não querem manipular ninguém, o lema deles até diz “nada é verdade, tudo é permitido”.

O credo então se baseia em que? Uma sociedade sem regras, sem limitações criadas por leis. Parece um sonho,certo? Os caras são verdadeiros libertários!

Porém, isso nos leva a uma questão: como seria um mundo onde não existissem parâmetros de bom e ruim? De certo e errado? Mais precisamente, um mundo sem Deus?

A humanidade sempre quis se livrar de Deus,ou mais precisamente, das correntes da religiosidade, que são cruéis e ditam padrões inalcançáveis!

Criar nossas próprias regras e parâmetros sempre pareceu uma saída melhor.Pra que seguir um Deus que nunca está satisfeito? Que castiga a humanidade inúmeras vezes ao longo da história e diz que tudo é pecado?

Felizmente ou infelizmente, eu sinto que estamos mergulhando numa cultura cada vez mais parecida com o credo dos Assassinos: nada é verdade, tudo é permitido! Sem padrões morais definidos, sem referências.

Hoje o mundo diz:”É você quem define sua identidade, o seu gênero é mutável, sua biologia não te define; é você quem define seus próprios valores, afinal a verdade é relativa e tudo depende das experiências pessoais, ninguém é obrigado a enxergar o mundo da mesma forma.”

Mas o curioso é, que ao tentar quebrar a ditadura da moralidade e valores hegemônicos, a sociedade tem criado uma nova ditadura,relativista: ou você aceita a minha verdade ou você é o mais novo alienado e intolerante.

Os valores dos nossos pais e avós estão cada dia mais desgastados: o casamento é uma instituição falida, a família não é mais definida a partir do modelo heteronormativo; quaisquer pessoas que se amam e se unem são uma família, afinal a religião, com seus valores, já oprimiu demais e não dita mais as regras.

A mulher que quer ser valorizada não pode ser uma mera dona de casa ou mãe, ela tem que ir à luta pelos seus direitos e ganhar espaço no terreno até então dominado pelos homens.

O que ninguém parece notar, no entanto, é que na corrida pela igualdade,vale tudo, até mesmo inverter os papéis, tornando-a a nova “opressora”, daqueles que discordam da sua opinião.

Vivemos tempos assustadores, onde a geração Z está sendo educada pela cultura “fast food”, do imediatismo, crescendo sem parâmetro de certo e errado, porque a verdade não pode ser definida por um “grupo hegemônico”, que quer impor seus próprios valores.

A liberdade é o objetivo, mesmo que pra isso seja necessário passar por cima do que estiver no seu caminho, com um rolo compressor. Afinal “onde outros homens são limitados pela moralidade ou pela lei, lembre-se: tudo é permitido.”

Vamos esperar pra ver até aonde a humanidade chega com essa mentalidade.

*********************************

“Eu olhei a tristeza nos olhos e sorri….”

(Expectativas, ansiedade, vontade de Deus e o silêncio…)

Faz 3 meses que eu voltei de umas das experiências mais incríveis e desafiadoras  da minha vida (e eu tô numa ansiedade só!)

Depois de passar 5 meses focando no propósito de Deus ,aprendendo a ouvir a Sua voz, interagindo com Ele e a entendendo a Sua vontade; depois de ser desafiada a me deixar moldar pela identidade de Cristo e claro, falhar inúmeras vezes nesse processo, agora eu enfrento outra luta: esperar em Deus, até que ele revele sua vontade e direção.

Eu tenho “complexo de Marta” (inventei isso agora!), ou seja, eu preciso estar sempre fazendo alguma coisa, para me sentir útil e para sentir que eu to no caminho certo! Descansar e esperar nunca foram meus pontos fortes, fazer isso em Deus então, nem se fala!

Depois de viver experiências intensas, boas e ruins, durante esse período em que eu passei no DTS (Discipleship Training School- uma escola de treinamento de discipulado e missões), que me fizeram crescer e também analisar muitas coisas sobre mim mesma e minha identidade, eu entrei numa fase que é como “estar de molho”.

Eu não sei se Deus me deu esse tempo para refletir e me curar, de algumas coisas que aconteceram ou se foi para me aprofundar em intimidade com Ele e também para “descansar” até que a próxima fase venha ( acho que na verdade, é tudo isso junto) ou se,na verdade, eu já to meio perdida mesmo!rs

O fato é que, não saber o que eu devo fazer agora e ter que esperar, às vezes, me tira do sério! Eu sei que, de certa forma, Jesus esta me dando uma oportunidade de simplesmente me sentar aos seus pés e aproveitar de sua companhia,ouvir sua voz. Mas, ao invés de ser Maria, e aceitar essa oportunidade com alegria, eu muitas vezes me sinto mais como Marta, e quero focar em FAZER, ao invés de SER.

Por outro lado, eu entendo que firmar os alicerces é a parte mais importante de toda a construção, e eu sinto que Deus esta fazendo isso comigo,nesse momento.  Ele tem me dado o tempo e a oportunidade de simplesmente descansar e passar mais tempo com Ele e, eu, na maior parte do tempo, aprecio isso. Mas tem dias que eu simplesmente quero surtar!

Eu vejo todas as pessoas que estão trabalhando no seu propósito e estão “em evidência” e, às vezes, me bate uma insatisfação sabe? Porque eu queria estar lá! Eu queria estar fazendo algo de útil ao invés de estar “só” passando tempo com Deus!

Mas eu sei que, construir meus alicerces e uma identidade firmada em Cristo é fundamental pra tudo que eu quiser realizar, eu sei disso! Mas, em diversas ocasiões, me faltam paciência e gratidão para passar por esse processo. É difícil!

Contudo, no fim do dia, o que me resta é me prostrar aos pés de Jesus e pedir perdão por ter um coração tão falho e um ego tão insolente, que quer sempre dar as ordens, ao invés de se submeter.

Mas eu não desisto, coloco minha fé e minha identidade sob a autoridade de Cristo. A caminhada continua….

“Qualquer que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as observa, eu vos mostrarei a quem é semelhante:
É semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem fundo, e pôs os alicerces sobre a rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque estava fundada sobre a rocha.
Mas o que ouve e não pratica é semelhante ao homem que edificou uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a corrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa.” Lucas 6:47,48,49

Música do título: ” 17 de janeiro” Os Arrais
********************************************************************************
Expectations, anxiety, God’s will and silence: the perfect recipe to freak out! lol

It’s been 3 months since I came back from one of the most incredible and challenging experiences of my life (and I am feeling sad about it!)

After spending 5 months focusing on God’s purpose, learning to listen to His voice, to interact with Him and to understand His will; after being challenged to let myself be molded by the identity of Christ and of course, failing countless times in this process, I now face another kind of struggle: wait on God, until he reveals his will and direction to me.

I have “Martha’s complex” (I made it up,just now!lol), in other words, I need to be always doing something, to feel useful and to feel that I’m on the right track! To rest and to wait have never been my strengths, not to mention to do this, based on God!

After I lived theses intense experiences, good and bad, during that time I spent at DTS (Discipleship Training School), which made me grow up and also analyze many things about myself and my identity, now I am going into a “activity restriction” phase.

I do not know if God has given me this time to reflect and heal myself, of some things that have happened on DTS, or to go  deeper in intimacy with Him and also to “rest” until the next phase comes (I think in fact, is all this together ) or if, in fact, I’m really lost now!

The thing is, not knowing what I should do now and having to wait, sometimes makes me freak out! I know that, somehow, Jesus is giving me an opportunity to simply sit at his feet, enjoy his company and hear his voice. But instead of being Mary, and accept this opportunity gratefully, I often feel more like Martha,anxious, and I want to focus on DOING, instead of BEING.

On the other hand, I understand that laying the foundations is the most important part of the whole construction, and I feel God is doing this to me at this point. He has given me an opportunity to simply rest and spend more time with Him, and, most of the time, I appreciate it. But there are days that I just want to burst!

I see all these people who are working on their purpose and are “in evidence”, and sometimes it hits me and I feel uncomfortable, you know? Because I want to be there! I want to do something useful instead of being “just” spending time with God!

But I know that, building my foundations and an identity established in Christ, is the most important thing to do for everything I want to accomplish, I know that! But I often lack the patience and gratitude to go through this process. It’s hard.

In the end of the day, all I have to do is to prostrate myself at the feet of Jesus and ask for forgiveness for having such a flawed heart and such an insolent ego that always wants to give orders instead of submitting. But I do not give up; I place my faith and my identity under the authority of Christ. And I move on…

47.”As for everyone who comes to me and hears my words and puts them into practice, I will show you what they are like. 48They are like a man building a house, who dug down deep and laid the foundation on rock. When a flood came, the torrent struck that house but could not shake it, because it was well built. 49 But the one who hears my words and does not put them into practice is like a man who built a house on the ground without a foundation. The moment the torrent struck that house, it collapsed and its destruction was complete.” Luke 6:47-49

Ressentimentos, feridas abertas e o poder do perdão:

Quando comecei minha jornada como cristã eu tinha a ideia de que Jesus resolveria todos os meus problemas “num passe de mágica” (hahaha verdade!).

Eu achava que os cristãos de verdade eram praticamente “super heróis”, que não tinham falhas de caráter, que não cometiam erros grosseiros, que não guardavam ressentimentos.

A bíblia tá cheia de histórias que provam o contrário: Moisés, mesmo depois de andar por anos em contato com Deus, ouvindo sua voz e vendo seu poder de perto, ainda assim deixou que a ira o dominasse e desobedeceu a uma ordem expressa do Senhor, o que lhe custou a entrada na terra prometida.

Pedro, que andou sobre as águas com Jesus, disse que se preciso fosse, morreria por seu mestre mas, quando o cerco apertou e ele se viu tomado pelo medo e a incerteza, negou Jesus para poupar sua vida. Paulo, dizia ser um imitador de Cristo e, apesar disso, não conseguia fazer o bem que desejava, mas o mal que não desejava, esse ele fazia.

Os cristãos são seres humanos e, portanto, são cheio de falhas e fraquezas, sempre foi assim!

O que nos difere dos outros é que a graça do Pai nos foi concedida e nossos olhos foram abertos! Nós recebemos a redenção e salvação de Jesus; nosso espírito foi restaurado!

Isso é maravilhoso demais pra ser totalmente compreendido.

No entanto, além de não termos o entendimento completo dos planos de Deus, ainda tem uma questão a ser encarada, que torna tudo mais difícil: estamos “presos” num corpo de carne que deseja tudo que é contrário ao espírito (como lidar com isso?Jesus responde =).

Finalmente, o ponto em que quero chegar é: qual é a nossa capacidade de perdoar?

Quando me tornei cristã eu achava que meu coração estaria livre de ressentimentos, que Jesus colocaria o SENTIMENTO de perdão no meu coração quando fosse necessário, pelo simples fato de eu ser sua seguidora.

Há! Tenho uma má notícia pra vocês, amiguinhos: isso nunca aconteceu!

Eu aprendi a muito custo que o perdão não é um sentimento, ele é uma ESCOLHA! E na maioria das situações em que precisamos perdoar, essa escolha tem que ser feita de novo, de novo e de novo; mesmo que o sentimento não venha de uma hora para a outra.

Eu explico: quando uma pessoa nos fere ou nos decepciona, nós remoemos por um tempo esse sentimento, até que finalmente resolvemos entregar ele pra Jesus (se você já entrega na primeira oportunidade, parabéns! Eu gosto de acariciar ele um pouco, antes de mandar embora rs).

É aí que começa o processo do perdão: nós entregamos pra Jesus o nosso rancor e nossas feridas uma vez e, toda vez que aquele (res)sentimento vem de novo, entregamos pra Jesus mais uma vez, até que ele não volte mais! (Ou até que paremos de pegar ele de volta).

Uma coisa que me ajuda muito a perdoar as pessoas é: pedir pra Jesus me dar a visão dele sobre elas e, a partir daí, orar por essas pessoas!

Orar mesmo, mas não do meu ponto de vista que seria “Deus, faça com que essa pessoa se toque, por favor, e venha me pedir desculpas” rs. Não!

A oração tem que vir do coração de Deus, ou seja, uma oração que clame pelo crescimento e amadurecimento da vida espiritual dessa pessoa, que os planos do Pai se cumpram na vida dela!

E eu posso dizer por mim, esse processo funciona! Cada vez que a dor e o sentimento de rancor ou mágoa querem voltar, eu tiro um tempo pra orar pela vida da pessoa que me causou essa dor. Eu entrego meu rancor pra Jesus dizendo “eu escolho perdoar Jesus, mais uma vez, eu escolho perdoar.”

Isso não é um mantra, isso é o meu espírito dizendo pra minha carne “quem manda aqui sou eu, é melhor você recuar”!

Ontem, me veio em mente a passagem em que Jesus diz que não devemos perdoar sete vezes, mas setenta vezes sete e isso, com certeza, vale pra mesma pessoa e situação, até que o perdão seja real!

Como alguém disse uma vez( não achei o autor) “guardar ressentimentos é como tomar veneno e esperar que o outro morra.”

Ou seja, você carrega um sentimento, um fardo, que só causa mal a você mesmo, enquanto a pessoa que te feriu, muitas vezes não esta nem ciente do mal que te causou.

Por isso, que a nossa entrega seja total, deixemos nossos fardos e feridas aos pés de Jesus, ele é o único que pode nos libertar, das correntes desse mundo e de nós mesmos.

”E Jesus, respondendo, disse-lhes: Não necessitam de médico os que estão sãos, mas, sim, os que estão enfermos;Eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores, ao arrependimento.” Lucas 5:31,32

Música pra alegrar seu dia =) Show me your Glory (Jesus Culture)

*************************************************************************************

Resentments, open wounds and the power of forgiveness:

When I began my journey as a Christian, I had the idea that Jesus would solve all my problems like in “a magic trick” (hahaha, really!).

I thought that the “real christians” were almost like “super heroes”, people who had no character flaws, who did not make huge mistakes, who held no grudges.

The Bible is full of stories that prove the contrary: Moses, even after years of contact with God, hearing his voice and seeing his power closely, still let anger dominate him and disobeyed an express command of the Lord, which cost him lose the entrance into the promised land.

Peter, who walked on the water with Jesus, said that if he had to give away his life, he would die for his master.

However, when the siege squeezed and he was overcome by fear and uncertainty, he denied Jesus, to save his life.

Paul said he was an imitator of Christ, and yet he could not do the good he wanted, but the evil he did not want, he used to do.

Christians are human beings and, therefore, are full of failures and weaknesses, it has always been so!

What make us different from others is that the grace of the Father has been granted to us and our eyes have been opened!

We have received the redemption and salvation of Jesus and our spirit has been restored!

This is too wonderful to be fully understood.

But, besides we not having the full understanding of God’s plans, there is still one question to be faced: we are “trapped” in a body of flesh that desires everything that is contrary to the spirit (how to deal with it? Jesus answers, to our relief =)

The point I want to discuss, after all, is: how deep is our ability to forgive?

When I became a christian, I thought that my heart would be free of resentment, magically. That Jesus would put the FEELING of forgiveness in my heart when it was necessary, for the simple fact that I was his follower!

(and here it´s where I need to laugh haha) I have bad news for you, dear friends: it never happened!

I have learned in a hard way that forgiveness is not a feeling, it is a CHOICE!

And in most of situations where we need to forgive, that choice has to be made over and over again; even if the feeling of forgiveness does not come, cause it take a while to happen.

I explain: when a person hurts us or disappoints us, we stir up that feeling of resentment for a while, until we finally decide to deliver it to Jesus (if you deliver at the first opportunity, congratulations!) I like to caress it a little before I send it away LOL).

And that’s when the process of forgiveness begins:

We give away our grudge and our hurt feeling to Jesus once, and every time that feeling comes again, we give it to Jesus one more time, until it does not come back anymore! (Or until we stop picking it up again).

One thing that help me a lot to forgive people who hurt me, is ask Jesus to give me his sight of them and, from there, I pray for these people.

Pray for real, not from my point of view that would be “God, make this person realize that she made a mistake, please, and convince her to come and ask me for apologize” (lol) No!

This prayer must come from the heart of God, that is, a prayer that calls for the growth and maturation of that person’s spiritual life, asking for the Father’s plans to be fulfilled in her life!

And I can tell by myself, this process works! Every time the pain and the feeling of rancor or heartache want to come back, I take some time to pray for the life of the person who caused me this pain, and I give my grudge to Jesus saying “I choose to forgive, Jesus, once again, I choose to forgive.

That’s not a mantra, that’s my spirit saying to my flesh” I’m the boss here, you’d better go back! “

Another key practice to learn to forgive is: spend time with Jesus!

Seek His face to find out who he really is, day after day. Talk to him unreservedly, knowing that he is your best friend and counselor.

Yesterday came into my mind the passage in which Jesus says that we should not forgive seven times, but seventy times seven (Matew 18:32), and this, sure, is worth to the same person and same situation, until the forgiveness and the feeling become real!

As someone once said (I do not find the author) “holding resentments is like drink a cup of poison and waiting for the other to die”.

That is, you carry a feeling, a burden, that only causes harm to yourself, while the person who harm you, often are not even aware of the evil that has caused to you.

Therefore, may our surrender to Jesus be complete. We must leave our burdens and wounds at His feet!

He alone can set us free, from evil and from ourselves.

Jesus answered them, “It is not the healthy who need a doctor, but the sick. I have not come to call the righteous, but sinners to repentance.” Luke 5:31-32

Song of the day: Show me your glory (Jesus culture)

“Não posso te ver,mas sei quem Tu és…muda minha vida,meus dias são Teus…”

(Medo X Chamado):

Uma passagem da bíblia que sempre mexe comigo é Jeremias 1:5-7:

 “Antes de formá-lo no ventre eu o escolhi;antes de você nascer, eu o separei e o designei profeta às nações”. Mas eu disse: Ah, Soberano Senhor! Eu não sei falar, pois ainda sou muito jovem.O Senhor, porém, me disse: “Não diga que é muito jovem. A todos a quem eu o enviar, você irá e dirá tudo o que eu ordenar a você.”

Acho que assim como Jeremias, que estava claramente amedrontado e em dúvida quanto a sua capacidade de exercer algum trabalho em nome do Senhor, nós nos sentimos intimidados pelos desafios, quando o Senhor nos chama pra Sua obra.

Eu ,particularmente, sempre penso “Eu, Jesus?! Tem certeza? Eu não sei falar em público, não tenho muitas habilidades sociais ou conhecimentos teológicos. Eu não sou ninguém”.

É muito difícil pararmos de olhar para nossas limitações e olhar só para o poder de Jesus! Parece loucura ignorar todas as nossas dificuldades e a voz que continua a falar na nossa cabeça “ você nunca vai conseguir!”, e nós sabemos bem de quem é essa voz.

Por que é tão difícil dar passos de fé e simplesmente confiar?

Esquecemos que Deus não faz nada sem propósito e que Ele já tem tudo planejado, nós só devemos confiar e seguir o plano. Estamos do lado Daquele que não pode falhar.

Quando eu olho pros grandes “heróis da bíblia”, eu claramente vejo homens e mulheres comuns, limitados e sem nada de muito especial. Vamos explorar alguns exemplos além de Jeremias (conhecido,entre as más línguas,como o profeta chorão rs):

Moisés, fugitivo e assassino, já estava com 80 anos quando o Senhor o chamou para libertar Israel, e sua resposta imediata foi: “Senhor, nunca tive facilidade de falar,nem no passado nem agora, que falaste ao teu servo.Não consigo falar bem” e logo em seguida “Ah Senhor, peço que envie outra pessoa” (êxodo 4:10-13). Isso foi logo depois que Deus mostrou as maravilhas que ele realizaria na frente do faraó com seu cajado, Moisés VIU o poder de Deus antes de ser enviado e mesmo assim temeu, não porque não acreditava no que Deus era capaz de fazer, mas porque não confiava em si mesmo e em suas habilidades. Alguém mais, se identifica?!

Ester, uma judia pobre e supostamente sem nenhum talento especial, foi coroada rainha e se tornou a preferida do rei. Mesmo assim, temeu quando Mardoqueu contou a ela sobre o plano de Hamã de exterminar todos os judeus, e pediu que ela intercedesse junto ao rei Xerxes. Embora tenha aceitado a missão, ela jejuou e orou por 3 dias antes de entrar na presença do rei, e ainda ofereceu dois banquetes antes de fazer o seu pedido de misericórdia, com medo de ser morta (Ester 4:10-16). Acredito que, esse medo se devia ao fato de Ester não se enxergar digna ou especial para merecer um favor mas, o rei a amava e foi bondoso com ela e seu povo.Mesmo que esse livro não cite uma única vez o nome de Deus, sabemos ao ler a história que, Ester não se tornou rainha por acaso, mas que ela ganhou o coração do rei através de um favor de DEUS, que queria libertar os judeus através da vida dela. Isso exigiu coragem e um passo de fé, ela teve que confiar Nele.

Gideão, considerado(por si mesmo) como: o menor de sua família e pertencente ao clã menos importante de Manassés. Foi chamado por Deus para libertar Israel das mãos de Midiã. Ele teve uma longa conversa com Deus, recebeu a visita de um anjo e pediu várias confirmações antes de sair para a batalha.(lã molhada, chão seco. Chão molhado, lã seca) E mesmo assim, temeu, principalmente quando o Senhor disse que ele tinha homens demais para guerrear e deveria ir apenas com os homens que bebessem da fonte levando a água com as mãos até a boca, ou seja, somente 300 homens, de acordo com Juízes 7:5-7. E após seguir todas as ordens de Deus, Gideão ainda teve que receber mais uma confirmação,para se sentir confiante. Desceu até o acampamento do exército inimigo e ouviu o sonho de um dos homens, que dizia que Deus já tinha entregado o exército de Midiã nas suas mãos. Só então, ele se sentiu confiante o suficiente para descer com o exército e atacar, saindo vitorioso.

Daria para continuar com uma lista infinita aqui, dos heróis inseguros(e completamente falhos): Pedro, que negou Jesus 3 vezes, por medo de ser morto e depois se arrependeu, ajudando a firmar a igreja em Atos. Paulo, que era um perseguidor e assassino de cristãos e tinha o tal “espinho na carne”, mas que seguiu edificando as igrejas e pregando o evangelho, conforme Deus o ordenava. E, sem falar das mulheres que andavam com Jesus e sustentavam seu ministério (entre elas: ex-endemoniada(Maria Madalena), mulher de um oficial de Herodes(Joana),dentre outras. Lucas 8:2-3). Elas eram apenas pessoas comuns, que acreditaram no poder de Deus e decidiram dar um passo de fé, ignorando a opinião alheia e seus temores.

Resumindo(texto grande, eu sei…), todos os que foram chamados por Deus e depois, por Jesus,a partir do novo testamento, eram pessoas comuns, falhas e pecadoras, muitas vezes rejeitadas aos olhos dos que as cercavam e sem qualquer privilégio (com algumas exceções). Elas só se tornaram “grandes” diante de Deus porque confiaram e venceram o medo! Elas acreditaram na força e soberania Daquele que as chamou para trilhar uma difícil e louca aventura. E escreveram história.

Eu oro todos os dias para que Deus permita que eu seja uma delas(e me tire da minha zona de conforto). E quanto a você?vai continuar sendo figurante, ou vai se candidatar a protagonista da história de amor mais incrível de todas?!